Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Rm 5:8

04.10.2008 21:56

  

          A Bíblia Sagrada nos diz no livro de Lucas 13:16 da seguinte forma: " E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos satanás a mantinha presa?”  Comigo não foi diferente! Durante muitos anos eu  vivi aprisionado pelas cadeias, amarras e os grilhões de satanás. Havia um plano maligno de total destruição traçado no inferno contra a minha vida, ainda no ventre de minha mãe fui rejeitado pelo meu pai que simplesmente ignorou a minha existência, através desse acontecimento tive uma infância conturbada marcada pelas dificuldades e que  deu origem a uma adolescência cheia de altos e baixos.

          Aos dezesseis anos de idade já freqüentava festas noturnas, bares e todos os ambientes de promiscuidade. Começava naquele instante uma longa trajetória de perdição e destruição na vida de um ser humano. ingeria vários tipos de bebidas alcoólicas e passei a fazer uso do tabagismo, fumando descontroladamente, além de conhecer uma das ármas mais perigosas  e destruitivas usada pelo inimigo e seus demônios “a prostituição”. Já extremamente envolvido com o pecado conheci mais um mecanismo do diabo que seria a minha destruição e que poderia não ter mais volta, “as drogas”. Passei a ser usuário e logo em seguida a traficante, acabei me envolvendo com varias pessoas ligadas ao tráfico e ao mundo do crime e do roubo, hoje muitos dos que sobreviveram encontram-se presos ou vivem em outras cidades. 

 

A Umbanda e a Bruxaria

           Minha vida estava literalmente sem governo e sem nenhuma direção, pois o diabo o enganador havia cegado o meu entendimento para que eu fosse me tornando cada vez mais uma pessoa controlada pelo poder das trevas, mas o pior de tudo estava por vir, tive uma espécie de chagas uma enfermidade terrível por todo o meu corpo e uma mulher mãe de santo, havia me dito que aquilo era obra de bruxaria e feitiçaria, então procurei um terreiro de macumba para que fosse desfeito o trabalho e eu ficar curado e consequentemente aquele processo me fez “baixar a guarda” e dar lugar a muitos demônios atuarem na minha vida, foi uma extratégia perfeita que stanás colocou em prática.

          Ao iniciarmos aqueles trabalhos de magia passei sete dias internado no terreiro de macumba dentro de um quarto chamado de ronkó completamente cheio de imagens satânicas e velas acesas vinte e quatro horas por dia, eu usava somente um calção e dormia em uma esteira de palhas e ficava aguardando os rituais que começavam sempre as vinte e duas horas, ali eram invocados os mais diversos demônios “exu”, “preto velho”,“tranca-rua“,                “boiadeiro“, “pombagira“, “martin“ e vários outros que se manifestavam para saciar-se com bebidas, charutos e com os despachos que fazíamos e eram oferecidos a cada um deles.

          Em outro quarto ficava o altar do diabo chamado de pejí e ali matávamos aves e bebíamos o sangue misturado a bebidas e a outros ingredientes, também comíamos de toda comida imunda sacrificadas aos demônios, onde a cada noite se manifestavam entidades diferentes para receberem os despachos e indicarem onde seriam entregues se nas encruzilhadas, águas correntes ou nos cemitérios. Em seguida precisamente a meia noite eu tomava um banho frio da cabeça aos pés com uma mistura fedentina que continha água podre, ervas, urinas e fezes dos macumbeiros que ficam retidas a meses em um reservatório feito de barro enterrado no quintal dos terreiros de macumba, chamada por eles no candomblé de “Água de Abô”. 

 

Primeiro Pácto

          Logo após aquela semana retornei a minha vida normal, mas o diabo não se deu por satisfeito e alguns meses depois eu estava de volta a macumba e parecia que daquela vez seria definitivo. Iniciei um trabalho de quarenta dias para me tornar um ialorixá um pai de santo, um macumbeiro, um filho de xangô que e o mesmo "São Jerônimo, São Pedro e São João Batista" cultuádos na igreija católica,  eu seria um caválo de satanás e passaría a receber aqueles espíritos demoníacos em meu corpo, passei por varios processos e rituais macábros, enquanto o bruxo envocava os demônios com os seus encantamentos, ele fazia sobre o meu corpo varios sinais referentes a brucharia e que eram feitos com sangue, cinzas e outros produtos relacionados ao candoblé e a feitiçaria, deitaram-me no chão dentro de um círculo feito com pólvoras e queimaram para ser feito o adobalé onde o iniciante é abençoado pelo orixá, e em seguida rasparam uma parte dos meus cabelos e fizeram um corte no centro de minha cabeça para que fosse feito o iré (incisões feitas na cabeça do iniciante) e retiraram o meu sangue para dar vida aquele pacto, também foi feito o borí um processo para reforçar a cabeça do iniciante e concretizar a sua trajetória como um macumbeiro. Mas Deus não permitiu que eu me tornasse um macumbeiro, um pai de santo ou um filho de xangô, Ele não me deixou os quarenta dias naquele centro de umbanda e me afastou do macumbeiro que muito insistia para que eu concluisse os trabalhos. Mas bem aventurado o homem que não anda segundo os conselhos dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores, antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.  

  

Segundo Pácto

         Alguns meses depois, achando que eu estivesse dando um grande salto em minha vida comecei a trabalhar com uma banda musical que aparentemente tudo caminhava muito bem e todas as coisas em seus devidos lugares, mas eu queria crescer profissionalmente então recebi o convite para trabalhar em uma outra banda com reconhecimento em todo o estado da Bahia, norte e sul de Minas Gerais e outras cidades do país, com todo aquele assédio que envolvia o grupo eu acabei me aprofundando como nunca no alcoolismo e na prostituição, pois eu havia pedido a um orixá no centro de umbanda para que eu tivesse várias mulheres, em outras palavras para que eu me tornasse um prostituto. Então continuei trabalhando com a banda e naquele mesmo ano um cantor solo despontava no cenário musical na época em que o Axé Music estava invadindo as grandes metrópoles brasileiras, a minha sede e o meu desejo de alcançar o sucesso eram insaciáveis! Foi aí que eu retornei a macumba e fiz outro pacto com o diabo para que eu me ingressasse naquela banda, então fui ao terreiro e já no primeiro dia de trabalho levei aguardentes, e vários charutos para que fossem oferecidos ao “exu” “tranca-rua”, o macumbeiro então incorporou aquele violento demônio para que ele definisse todo o processo e como seria feito aquele pacto.

           No dia seguinte retornei aquele lugar levando vários produtos de umbanda e outros comuns, entre eles aves vivas para que fossem sacrificadas e que usaría-mos  como oferendas nos despachos, ao invocar e receber aquele demônio o homem ficou completamente pocesso, e no decorrer dos trabalhos estando ele em transe me levou até o local onde estava o pejí o altar de satanás e onde ficavam as imagens dos demônios e juntos fizemos aqueles rituais satânicos e assustadores com danças, cânticos e o ejé, que foi o derramamento de sangue por todo aquele lugar imundo. No final daquele trabalho depois de participar dos sacrifícios com animais tive que beber sangue com mel, aguardente e outras misturas para concretizar o pacto, além de comer dos manjáres e comidas sacrificadas a aquelas entidades, levei dezenas de baforadas de charutos sobre todo meu corpo e aquele demônio me deu um prazo de menos de uma semana para que eu conseguisse o meu objetivo, mas o efeito foi mais rápido do que eu imaginava; com aproximadamente setenta e duas horas parou um carro na porta de minha casa e para minha surpresa era aquele cantor  que veio em minha direção e me fez o convite para trabalhar com ele no grupo. O Senhor Jesus mais uma vez estava ao meu lado e eu sem entender o porquê rejeitei o tão desejado convite. Recebi um outro convite e acabei aceitando para sair de Conquista e trabalhar com outra banda bem conceituada no mercado musical no qual passei cinco anos experimentando outros artifícios pecaminosos. passei a roubar e a furtar tudo o que eu via pela frente; tive varias noites de orgias e embriaguez com mulheres adulteras que faziam a vontade do diabo; passei a conviver diariamente com esses atos diabólicos que eram característicos da falta da presença de Jesus em minha vida, mas a minha redenção estava por vir e grande era o plano do Senhor em minha vida.  

  

CONVERSÃO

         Em Setembro de noventa e sete em uma temporada de shows pelo norte do país, o Senhor me permitiu viajar para o estado de Rondônia, dentre várias cidades que estavam no roteiro a produção escolheu a cidade de Porto Velho, capital do estado, para fixarmos a sede da banda e dali então deslocarmos para outras cidades e capitais. Em todo o percurso da viagem fui acometido terrivelmente de grande pavor, medo e opressão, pois naqueles dias o Senhor usou tremendamente uma pessoa para me falar da Palavra de Deus, do Seu amor, e do sacrifício de Jesus por mim. Eu já havia participado de alguns cultos sem compromisso, por isso aquela pessoa havia me pedido para que eu levasse comigo uma bíblia e por esse motivo o inimigo se levantou contra minha vida. Entre os componentes daquela banda havia um crente da Assembléia de Deus que trabalhava com o grupo e o Senhor usou poderosamente aquele homem para mudar a minha vida e de mais dois músicos daquela banda.

          O diabo não mediu esforços e logo se levantou provocando um acidente com o nosso veículo numa tentativa de capotamento, mas o Senhor não permitiu que tal situação viesse ocorrer com aquele veículo livrando nossas vidas daquele terrível laço e naquele instante me lembrei que alguns dias antes de embarcamos para a temporada de shows, eu estive na casa de um feiticeiro para fazer uma consulta aos orixás e um deles havia me dito que um acidente haveria de acontecer nas estradas, mas ele estaria na hora, e no local para me socorrer, então no momento em que acorreu o acidente lembrei-me daquelas palavras e tive uma sensação horrível de que outros incidentes poderiam vir ocorrer naqueles dias.

           Antes de chegarmos a Porto Velho, eu já havia lido dois dos quatro evangelhos e com isso a minha luta crescia cada vez mais. Eu já não podia mais abrir a cortina da minha janela no veículo, pois havia aparições e visões por todas as direções da estrada. Logo que chegamos ao nosso destino, numa noite fui apanhado de surpresa em meu quarto no hotel por uma força maligna que me sufocou por alguns instantes e cheguei a pensar que realmente eu iria morrer, porém Deus livrou-me naquele instante.

          Então iniciamos a seqüência de shows, e eu já conhecia o Jesus que hoje eu sirvo, e pronto eu estava para recebê-lo como o único e sulviciente Senhor e Salvador da minha vida, mas alguns impecilhos existiam para que eu não tomasse aquela decisão, pois sendo eu naquela época um adepto a outros deuses, a macumba e a feitiçaria existia um acerto de contas a ser cumprido; oferendas haviam de serem entregues à duas entidades, eu havia assumido o compromisso de colocar três pontas de lança no tridente de uma imagem satânica do terreiro, e um carurú para as entidades conhecidas como "cosme e damião"  e eu não sabia o que fazer para me livrar daquela situação.

          Na cidade de Ouro Preto do Oeste (RO), ficamos alojados em uma residência onde se tornou um antro de perdição pois um laço havia sido preparado para mim, em nosso primeiro show naquele lugar conheci uma mulher que foi enviada pelo inimigo e a partir daquele instante minha vida passou a ser um caos, ela ficava quase que vinte e quatro horas dentro daquela casa alojada conosco e o plano do diabo foi colocá-la em meu caminho para impedir que eu fosse aos cultos e até mesmo de ler a palavra do Senhor.

          Quando ela soube do meu desejo de me converter aquela mulher usada pelo diabo me ameaçou dizendo que iria cometer o suicídio e eu com certeza seria  acusado e responsabilizado se realmente eu me entregasse ao Senhor Jesus,  mas a luz de Deus estava sobre mim, e os dias e as noites passaram a ser maravilhosos porque a glória do Senhor ficava mais presente a cada instante em minha vida e naquele lugar, o homem que estava desviado já não era mais o mesmo, com a boca no pó clamava o perdão do Pai, o Senhor arrancou aquela mulher do meu caminho e disfez todo aquele laço, grande foi o mover de Deus naqueles dias, e aqueles dois componentes que também ouviram a palavra entenderam que só o Senhor é Deus e se humilharam diante de Jesus, que em sua infinita misericórdia havia me dado sabedoria para declarar ao meu adversário que eu não tinha mais vínculo com ele nem com o inferno e nem mais nenhuma obrigação de servi-lo e nem de obedecê-lo, então o poder do Espírito Santo de Deus veio sobre a minha vida, um miserável pecador condenado á morte, e naquela noite do dia dezenovi de setembro de noventa e sete eu tive muita fome e sede de Deus e corri para a igreja localizada na mesma praça onde horas atrás eu estava em cima de um palco louvando a satanás e me lancei aos pés do Senhor Jesus com o rosto cheio de lagrimas e com a minha boca no pó perante a todos naquela igreja que foram testemunhas do grande poder e da imensa graça e misericórdia  de Deus naquela cidade, que foi inpactáda pela maravilhosa obra de Deus naquela ocasião.

          Hoje eu glorifico a Deus pela graça e a infinita misericórdia do Senhor em minha vida, por ter me tirado do lamaçal do pecado, por ter anulado todas as minhas dívidas com o diabo, por ter me arrancado das garras de satanás e por ter transformado e restaurado a minha vida, a dos meus filhos e a da minha esposa, pois eu e minha casa servimos ao Senhor e firmes estamos aguardando a sua gloriosa e esperada vinda para buscar a sua santa igreja. A Ele seja dada toda a Honra, todo o Louvor, todo o Poder e toda a Glória, pelos séculos dos séculos e para todo o sempre. Amém! 

 

"Estou crucificado com Cristo, e já não vivo, mas Cristo vive em mim.
A vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, que me amou  e a se mesmo se entregou por mim". ( Gl 2:20.)
 
Ao Senhor Jesus que sofreu, e morreu na cruz do calvário para me salvar, a Ele entreguei minha vida, a Ele pertence todo o meu ser, e tudo o que eu vier a ser ou fazer, pois tudo é para á tua gloria ó Senhor Jesus, Amém! Amém! Amém!.
 

 


tenhoumchamado.webnode.com/home/
 

 

—————

Voltar